Publicado por: Pedro Cordier | 03/02/2009

[POESIA] Volta

Ponto.

Começo pelo fim
E retrocedo
Em busca da juventude

As rugas cedem espaço
Ao viço da mocidade

Vírgula,

O meio é o mesmo
Tão vivido quanto negado
previsível e inesperado

As rugas dividem o espaço
Com a ânsia juvenil

Reticências…

Tão próximo do começo
Tão perto das respostas
Tão cheio de perguntas

Rugas?
Não sei de nada…

(Pedro Cordier)

P.S.: Achei essa poesia enquanto procurava uns documentos. Ela data de 29.01.99 mas está super atual por causa do filme “O curioso caso Benjamim Button”, que devo assistir amanhã ou quinta.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: