Publicado por: Pedro Cordier | 20/01/2009

[TRECHO DE LIVRO] Entre infinitas possibilidades, um livro…

“(…) Passava das duas da madrugada quando Duarte resolveu se levantar da cama. Há mais de duas horas deitado ali, não conseguiu relaxar um só minuto. Pensamentos, viagens… caminhou até a cozinha, onde buscava encontrar mais que um gole d’água, um filete de esperança de seguir em frente…


Ao abrir a geladeira, algo estranho lhe ocorreu… um frio percorreu-lhe a espinha e seu corpo começou a vibrar. Era uma sensação de torpor, uma verdadeira profusão de sensações… podia perceber que algo acontecia ali, naquele instante. Mais que isso, aquela experiência iria mudar a sua vida para sempre…

“Um insight”, pensou ele, num súbito instante e por uma fração de segundos, quando foi tomado por uma paz tão gostosa e tão profunda que era capaz de escutar cada célula do seu corpo trabalhando, integrando-se com cada célula à sua volta. Imersão total em si e com o ambiente… conexão…

No exato instante em que Duarte percebera que havia se afastado de algo vital, a conexão fora reestabelecida e ele logo sentiu a presença de Deus, novamente, em sua vida…

“Estava aqui… estava aqui dentro de mim todo esse tempo”, pensou ele com lágrimas nos olhos. “Na verdade, estava dentro de mim e em tudo aqui fora, pois somos todos um. Estamos conectados entre nós mesmos e com tudo que nos cerca o tempo todo. E Deus é essa teia que nos une… Deus está nas possibilidades. Deus está em todos os detalhes… Ele está nas infinitas possibilidades…”

 Encheu um copo com água gelada e bebeu com sede. Era como se estivesse regressando de um deserto. Duarte bebeu aquela água com sede e encheu sua vida de bênção.

Foi um momento inesquecível! Naquele instante, Duarte teve a certeza de que as possibilidades não só existiam, como eram escolhidas por nós a cada segundo. Cada vez que respirávamos. Lembrara de Sartre e da dor de se dar conta de sermos livres e, como tal, responsáveis pelos nossos próprios atos. Erros e acertos… sempre uma escolha dentre infinitas outras…

Para Duarte, a descoberta dessa conexão com Deus, lhe mostrou uma vida diferente… mais rica, mais abundante e ao mesmo tempo, uma eterna escolha entre o isto e os aquilos…

Conexão. Percepção. Possibilidades… infinitas possibilidades… (…)”
(Pedro Cordier)
OBS: Trecho divulgado em primeira mão, do livro que estou escrevendo sobre as infinitas possibilidades…
Anúncios

Responses

  1. Obrigado, Taís!

    Caro anônimo, seus comentários demonstraram um misto de sensibilidade e percepção, combinação rara…

    No 4º parágrafo, Duarte se deu conta da sua conexão mais importante: a conexão com Deus!

    No livro vai ficar mais claro, pois, para um entendimento mais completo, o leitor necessita de mais informações sobre as INFINITAS POSSIBILIDADES, como:

    ” (…) estarmos conectados às INFINITAS POSSIBILIDADES todo o tempo. A questão é que, do mesmo jeito que só enxergamos as cores dentro de uma faixa de comprimento de onda, só conseguimos “enxergar” algumas dessa possibilidades (…) isso não quer dizer que os raios ultra-violetas não existam. Nós apenas não conseguimos enxergá-los (…)”

    Então, ele percebeu que aquela conexão “ainda existia”, como ele relatou no parágrafo seguinte:

    ” (…) Estava aqui… estava aqui dentro de mim todo esse tempo”, pensou ele com lágrimas nos olhos. “Na verdade, estava dentro de mim e em tudo aqui fora, pois somos todos um. Estamos conectados entre nós mesmos e com tudo que nos cerca o tempo todo. E Deus é essa teia que nos une… Deus está nas possibilidades. Deus está em todos os detalhes… Ele está nas infinitas possibilidades (…)”

    Feliz aqui e agora e escolhas e luz e vida… NAMASTE!!

  2. Certamente será um livro para ser percebido e não raciocinado. Pode-se ler esse texto “infinitas” vezes sem compreendê-lo, ou possuí-lo em si num só instante de “conexão”.
    No 4º parágrafo tive a impressão que Duarte se dera conta de sua “viagem”, sentiu medo de sua entrega e neste lapso de “realidade” voltou à sua “matrix”. Mas depois achei que não foi bem isso que vc quis dizer… ou foi? Acho que fiquei em dúvida com o termo conexão.
    Parabéns! Está muito bom!
    Espero que na continuação Duarte escolha a melhor das possibilidades para sua vida…
    Feliz aqui e agora!


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: