Publicado por: Pedro Cordier | 11/09/2008

[POESIA] Enigmas da Culpa

A culpa sufoca,
corrói,
destrói…
A culpa me toca…
A culpa pesa,
acumula,
lesa…
Mas a culpa me estimula…
Há culpa,
Não há desculpa.
Mas deve haver consciência
E não penitência…
A culpa é pesada
Mas, se há compreensão,
Ela não há de ser levada,
Carregada no coração…
Dissolvida pelo perdão
E separada da emoção
A culpa desaparece
E a paz se estabelece…
Vai-se a dor
Resta o aprendizado!
Que, se visto com amor,
Pode ser reutilizado…
Uma nova consciência irradia
Quando a verdadeira luz resplandece…
Surge, então, um novo dia
E o equilíbrio prevalece….
Anúncios

Responses

  1. Concordo!


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: